FTSA
29 de março de 2009
Cristãos comprometidos com a transformação da cidade
31 de março de 2009
Exibir tudo

Porque Teologia?

Escrever sobre teologia não me parece ser uma coisa muito proveitosa, por isso nesta coluna gostaria de fazer teologia para que grandes conceitos sejam difundidos e assim, através de ações teológicas e práticas, tenhamos uma transformação de nosso pensamento ou de nossa maneira de pensar.

Será pretensão de minha parte fazer teologia? De maneira nenhuma! Teologia não é algo que somente professores ou teólogos renomados e famosos podem fazer – teologia é também a maneira que encontrarmos para responder a questões que ou nos atormentam ou algumas vezes deixamos sem respostas – jogamos um bolo de necessidades na questão da vontade de Deus, reputando que em Deus nada precisa ser explicado.

Quero propor que à medida dos dias faça-se teologia. Mesmo que não saibamos as respostas, podemos depender de Deus para orientar e direcionar nossa fé, nossa crença e então nossa prática, sem a qual a fé é vazia em si mesma – é fé na fé e nada é mais triste para o ser humano que ser numa finalização da sua fé onde ela termina em si mesma, ou em si mesmo e essa fé, tanto no objeto que é a fé como no veículo – o ser humano, suas potencialidades e necessidades é vazia e não leva a lugar nenhum – é beco sem saída!

Há de se analisar a realidade para enxergarmos o que existe, o que acontece, usando para isso tudo o que as ciências nos proporcionam: olhar o ser humano e sua existência pela antropologia, pela sociologia, pela psicologia e tantos outros olhares multidisciplinares; há de se fazer então uma leitura bíblica responsável, que tente ou consiga responder a estes anseios e necessidades; então, somente então, organizar os pensamentos e saber o que já foi formulado, talvez uma releitura da teologia organizada, sistematizada e olhando para tudo o que se vê – viu – na realidade do ponto de vista bíblico e agora teológico para então desenvolver-se uma teologia prática, que faça sentido não somente vivencialmente, mas principalmente que faça sentido fora dos portões da Igreja, justamente onde tudo se iniciou: na realidade, porém, não somente para ser propagada e difundida, como uma apologia do certo em vista do errado, mas para uma transformação solidária das realidades vista e vividas.

Assim deve caminhar a teologia e essa é nossa proposta: ser um canal de diálogo entre a teologia e as outras áreas do conhecimento e assim proporcionar à Igreja condições de colocar no exercício da sua fé algo de maior e melhor substância, algo que realmente faça diferença para o Reino de Deus, algo que vá glorificar o nome de Cristo!

A Deus, toda Glória!