O tempo não para
O tempo não para
15 de novembro de 2012
Um evangelho que não liberta
Um evangelho que não liberta
25 de novembro de 2012
Show all

Nossas atitudes devem acompanhar nossas palavras

Nossas atitudes devem acompanhar nossas palavras

Este fim de semana fiquei bem mal, com dores, febre e a cabeça sem poder pensar em muita coisa – só de pensar já doía, mas dentre os poucos pensamentos que tive, um deles me chamou mais a atenção que outros, pensei sobre tempo, como diria Salomão “o tempo de fazer qualquer está bem na nossa frente, pois há tempo para todo propósito em nossa vida” (Eclesiastes 3.1) e sei que nossas atitudes devem acompanhar nossas palavras.

Tempo

Às vezes escuto alguém falando: “não tive tempo” para fazer tal coisa, mas o tempo foi gasto com outras coisas e aquilo que queria (se é que queria mesmo!) fazer foi deixado de lado. Ou ainda: “não tive oportunidade para fazer tal coisa”, muitas vezes falando de momentos específicos em que temos o “tempo certo” para realizar a(s) atividade(s) que queremos.

O tempo está sempre aí. Passam-se as horas e com os dias passando o que demonstramos com essa falta de tempo ou de oportunidade nada mais é que uma escolha que fazemos de como gastaremos nosso tempo ou daquilo que faremos para criar as oportunidades que tanto desejamos.

Vontade

Reside aí, na sede da VONTADE, um processo decisório e procrastinamos não porque não tivemos tempo, mas porque não fizemos o tempo para realizar tal atividade.

Nossa vida não deve ser uma constante movimentação e ativismo, mas se existem coisas que são importantes, demonstrar que realmente são importantes é gastar tempo com elas.

Então, quando gastamos um tempo considerável com algo, é porque isso que separamos para fazer é mais importante para nós que aquilo que deixamos por fazer e precisamos (ou devemos?) admitir que seja assim; porém, quase sempre, como o tempo passa e nos encontramos de novo a olhar para aquilo que deixamos pesa em nós a consciência (sentimento de culpa?) de não termos “tirado algum tempo para gastar com aquilo que sabemos ser importante para nós”.

Muitas vezes chegamos a afirmar para pessoas: “você é muito importante para mim, quero que saiba que você para mim tem uma importância vital e acho que você sabe disso”. Daí, às vezes, não “doamos tempo para essa pessoa que falamos ser importante para nós” e então dizemos as palavras, mas nossas ações estão longe do objetivo delas.

Atitudes

Eu aprendo sempre que atitudes valem muito mais que palavras bonitas que possamos falar uns aos outros.

Tem algo, ou alguém que é realmente importante para você? Não deixe o “tempo” passar, não somente para dizer que é importante, mas para demonstrar na prática, com atitudes, com idas até essa pessoa, com preocupação, com desejo sincero de saber como se está.

Dizer: “você é importante pra mim” é muito diferente de mostrar a importância que o outro tem em nossa vida com nossas atitudes e práticas.

Sempre haverá tempo, se assim o quisermos. Sempre haverá oportunidades, se assim desejarmos.

O tempo está aí, use-o a favor de tudo isso.

Comentários