Solipsismo - o que está fora de mim não é real
Solipsismo – o que está fora de mim não é real
22 de fevereiro de 2015
Não precisamos usar muletas. Precisamos andar com os dois pés
Não precisamos usar muletas. Precisamos andar com os dois pés
22 de fevereiro de 2015
Show all

Cansado de ler tanta coisa doida

Cansado de ler tanta coisa doida

Quer dizer então que a argumentação de muitos cristãos para as questões políticas dentre outras é descer a um nível de baixo calão e achar correta colocar pra fora o que se tem de podre por dentro como forma de fazer o “melhor”?

Desde quando que o movimento da força humana de argumentos e palavras tem tomado na sua vida o lugar do vento do Espírito? Desde quando você se esqueceu das palavras de Jesus que diz que carne (projetos e construções humanas) só produzem carne e não conseguem produzir vida, pois somente o vento (Espírito) pode fazer isso? E quanto Jesus fala sobre estas coisas não está nos incentivando a vivermos de braços cruzados, mas sim, depender do Espírito Santo de Deus para que a vida sopre.

Será que nos esquecemos que não é pela força, mas pelo meu Espírito, como diz o Senhor?

Quando Cristo orienta a que devemos amar aqueles que se opõem diretamente a nós, será que ele pensou que isso só valeria para a sua época? E desde quando amar significa querer destruir? Quando Jesus olhava para um ser humano em sofrimento, quer seja uma prostituta ou um jovem rico, ele os amava, sentia sua dor e não vejo em momento nenhum ele dizendo: vou destruí-los, preciso fazer com que aprendam através da força da minha vida e vou bater tanto neles que terão que aprender que estão mexendo com Deus …

Não … ele foi lá, subiu na cruz e morreu por eles.

Outros argumentam: eu preciso defender os meus direitos. Ah é? E quem defende o direito de tantos que são excluídos? Quer dizer então que você defende os seus direitos e o resto deixa nas mãos de Deus – isso é puramente egoísmo e falso evangelho.

Não me venha com fatalismos determinantes absurdos. Sim, eu sei que Deus é justiça como também é amor, mas esses não são duas parte de Deus e sim que o conjunto faz parte do todo que ele é e a sua melhor manifestação de justiça foi na cruz, onde Cristo morreu por mim e por você antes mesmo que tivéssemos condições de sequer conhece-lo.

Deus sabe o que faz e quando ele nos orienta a amar aqueles que são nossos inimigos ele não estava pra brincadeiras…

Quer dizer então que se você fizesse parte de uma igreja perseguida em países com restrição à vida cristã, o que faria? Iria começar a matar os seus algozes?

Bem, se sua vida é baseada nos seus “achismos” e argumentos pessoais então não passam de força bruta, tenho certeza que sua fé não resistiria a perseguição que muitos de nossos irmãos e irmãs tem passado em diversas parte do mundo.

O dia em que aprendermos a sacralizar menos as coisas e sacramentalizarmos mais as pessoas viveremos um evangelho mais genuíno. Gostamos da verticalidade da relação com Deus, mas abominamos a horizontalidade da relação com o outro – viver o evangelho assim não é viver o evangelho, é criar uma outra forma que não é a de Deus. Vejo como você vive o evangelho não é no tempo que passa dentro das igrejas, cantando, louvando, adorando, dando dízimos e ofertas, mas sim em como se relaciona com as pessoas – é nessa oportunidade que mostramos se somos ou não cristãos verdadeiros.

Cansado de ler tanta coisa doida.

Comentários